22 novembro 2012

Agora imaginem que metiam isso no cu!

Sim, estou a falar dos neandertais que rebentaram o petardo no jogo com o Celtic.

Portanto, fizeram-no com o Spartak, levámos nas orelhas e abriram processo disciplinar.
Com o Celtic rebentam outro?

Mas estes mentecaptos não entendem que isso só prejudica o clube que supostamente apoiam? Digo supostamente porque não me cabe na cabeça que haja alguém tão estúpido que ache que aquilo ajuda, ou que haja alguém do Benfica que queira deliberadamente prejudicar o clube.

Duvido que tenha sido o Rangel a levar o petardo escondido no sobretudo.

Estas bestas foram repudiadas pelo público "geral" que estava no estádio e isso encheu-me de orgulho, isso são os verdadeiros Benfiquistas que querem o melhor para o clube!

Que cambada meu, aquilo a rebentar-lhes no cu daria uma emoção bem mais relevante...


PS: por falar em cu, não oiço falar da Irina há imenso tempo...

8 comentários:

treinadoradjunto disse...

Nem mais.

Haviam de foder a boca toda a esse filho da puta.

Como é que ninguém ali ao lado lhe deu um aperto?

Tomé Silva disse...

Cá para mim foi algum adepto rival que se fez passar por Benfiquista e rebentou o petardo.

No Benfica é tudo gente séria e honesta,não é como noutras paragens.

Joao disse...

Quer-me parecer que a segurança no estádio (psp e segurança privada) é mais minuciosa na revista ao adepto comum do que às claques...

Já no Porto a grande maioria do estádio assobia os mentecaptos que se lembram de insultar o Benfica naquele cântico absurdo...

POC disse...

Lamento que os próprios benfiquistas não ponham termo a isto.

Há duas épocas um anormal foi para a minha bancada e rebentou um. Estava no meio de mais malta. Ficou tudo incomodado, além de que o petardo rebentou junto às pessoas e houve quem se fosse embora.

Caralho, passei-me dos carretos, levantei-me e perguntei "quem foi o filha da puta caralho, quem foi?". Alto e bom som, toda a gente ouviu.
Talvez tenha sido arriscado, porque gente que faz isto é gente sem noção das coisas, mas aplaudiram o meu gesto e aquela merda acabou ali.

Não quero dar lições a ninguém, mas todos devem zelar pelo bem estar uns dos outros, seja no estádio ou noutro sítio. Puta que pariu esta merda pah.

fernando disse...

Gordo, corrige mentecaptos para mentecapto basta uma besta para fazer aquilo.

POC, o que tu fizeste e o que treinadoradjunto pede para fazer é impossível de fazer naquele sector, há ali "pessoas" que não tem nada a perder, e se começarem uma batalha campal ainda passam por herois.

Esta merda já mete nojo, com o Liverpool, o petardo para junto do fiscal de baliza, a multa foi uma enormidade(maior talvez que a receita liquida do último jogo com o Vitória de Guimareis), mas ainda não aprenderam.

Por enquanto só doí ao SLB, dentro em breve pode doer também aos adeptos que gostam de ver o jogo no estádio (interdição), quando deveria doer ao(s) acéfalo(s).

O SLB tem cameras no estádio, a PSP filma a claque com meios próprios não conseguem responsabilizar ninguém? Não querem? É extremamente dificil?

Se alguém for responsabilizado, será o melhor meio de dissuasão e erradicação deste problema, infelizmente só funciona assim, esqueçam apelos e quejandos.

POC disse...

@fernando, disseste tudo. O Benfica, se quisesse, identificava as pessoas. O estádio foi anunciado assim mesmo, que era facilmente identificável um prevaricador.

Se quisessem, tinham pessoas a olhar para aquilo. Quando rebentasse um petardo (ou acontecesse algo estranho), reviam no instante a camara X e identificavam com a polícia.

POC disse...

Gordo B., vai roubar o que acabei de fazer para os viscondes. Estou orgulhoso...

Pedro disse...

Bem..vamos lá ver as coisas como elas são. Primeiro: é practicamente impossível detectar quem atira um petardo. Aquilo é demasiado pequeno e num estádio o que não falta são braços no ar...então nos festejos de um golo é impossivel perceber se foi lançado ou não. Em termos de revista, lá está, aquilo é do tamanho de um isqueiro...pode ser facilmente escondido. Não é por aí.

É por uma questão de consciência. E, verdade seja dita, houve claro mau estar dentro do grupo. Foi notório.