14 janeiro 2015

Ajuda?

Olá malta,

Uma agulha no palheiro? Talvez... Mas temos de começar por algum lado... 
Isto de ser um blogue de humor e com tantos seguidores é do caraças, e hoje sinto-me no direito de vos pedir ajuda em vez de vos fazer rir ou ficar furiosos por gozar com o vosso clube ou com o vosso Ronaldo. 

Hoje esta história voltou-me a sensibilizar e não posso deixar de partilhar e pedir ajuda e que partilhem e o caraças... 

O Futebol mexe montanhas, bora ver se os adeptos também conseguem dar uma ajuda? Lembra-se do estrondoso apoio no caso do Filho do Carlos Martins? É mais ou menos isso que gostava...na melhor dimensão possível.

Já agora peço a outros blogues que também nos acompanhem que partilhem a história, que façam mais barulho, para ver se algo acontece... nem imagino o que é viver nesta prisão constante e se puder fazer alguma coisa farei... para já liberto a história e tento que alguém que leia isto possa de facto ajudar, ou por conhecer as pessoas certas ou simplesmente porque pode... 

Abraço a todos!

LINK


Texto:

Lembram-se da menina que foi atacada duas vezes pelos mesmo bandidecos cujos pais não lhes deram estalos suficientes? Bandalhos nojentos que demoraram um ano a ser presos?Esta Carolina?
A Carolina mudou de casa depois de muitas pressões. Não está muito melhor: puseram-na num bairro (e num prédio) onde vivem muitas pessoas da mesma etnia dos seus atacantes - mesmo depois de ter sido explicado 450 vezes que isso seria um grave problema - e Carolina não consegue deixar de ter medo. Tem tanto medo que a mãe tem de ficar à porta da escola à espera que as aulas acabem, o dia todo. Carolina está muito magra e já foi parar ao hospital. Dorme com a mãe porque senão não dorme de todo. Foi-lhe prometido um quarto novo, naquela onda da generosidade inicial, quando eu e a Pólo Norte fizemos posts a pedir ajuda, mas até agora só uma cama chegou à Carolina. O resto dos móveis e da decoração estão em parte incerta.
Valeram os electrodomésticos e as muitas encomendas cheias de coisas para a Carolina. A alegria que trouxe à família foi bonito de assistir e os agradecimentos  repetiram-se por muitos dias, com a mãe da carolina a chorar e a desejar que deus nos abençoasse a todos. Mas o problema está longe de ser resolvido e não vejo forma da Carolina voltar a ser uma menina feliz.
Os pais da Carolina ainda não trabalham porque o filho mais novo está à espera de ser chamado para o infantário há meses sem fim e não há mais ninguém que possa tomar conta dele e a carolina não pode ser deixada sozinha. Está a ser vigiada neste momento porque nem 40 quilos pesa e porque já tentou acabar com a própria vida. 
A família está sozinha e abandonada à sua sorte, desejosa de poder trabalhar, desejosa de poder respirar e mesmo assim arranja coração para me mandar mensagens de feliz natal e bom ano.
Vou fazendo o que posso, pelo menos é o que digo a mim mesma para me sentir menos culpada.
Escrevi uma carta para enviar para uma outra câmara municipal a pedir alojamento, em nome da mãe da Carolina. O email ainda não seguiu, é a mãe que tem de enviar, mas nem para isso teve tempo. Viver todos os dias com medo pela filha deve ser difícil de suportar.
Disse-me ela que não era justo que fossem eles a sofrer. Que fossem eles os obrigados a sair da pópria casa, a deixar tudo o que conheciam para serem postos num sítio igualmente mau. Recusaram uma casa na margem sul porque era demasiado perto do drama e mesmo do outro lado do rio vieram parar a um bairro cheio de familiares dos bandidos. O sistema, seja lá o que isso for, abandonou-os. Arranjou a casa, num sítio bastante mau, cuja casa de banho está sempre a inundar e cujas portas das divisões fecham de tal forma que já tiveram de ser arrombadas, e lavou as mãozinhas. Processo arquivado.
Devíamos poder escolher para onde vão os impostos que pagamos: quer ajudar uma família com dificuldades ou contribuir para o ordenado de uma das estrelas da RTP? Quer dar x por ano a uma criança carenciada ou prefere que o seu dinheiro seja enterrado na TAP ou na salvação de um banco?
A Carolina continua a precisar de ajuda e eu já não sei o que fazer.

6 comentários:

Benfiquista Primário disse...

Parabéns por partilhares esta necessidade da Carolina. Segui o link, mas não percebi como é que se pode ajudá-la. Será que me podes esclarecer, por favor?

Obrigado e um abraço nada primário

B. disse...

Divulgando, tentando chegar a quem de facto possa fazer alguma coisa...

As bloggers em causa conseguiram que ela mudasse de casa, mas pior a emenda que o soneto quase (acho que nunca tinha escrito esta frase).

A luta mantém-se... a menina precisa de mudar de vida de forma absoluta, e não de um penso rápido mal colado...

Segue o que fizeram antes por ela aqui:

http://www.ionline.pt/artigos/portugal/carolina-15-anos-voltou-ser-vitima-abusos-os-alarmes-soaram-ninguem-fez-nada-0

http://quadripolaridades2.blogspot.pt/2014/06/sim-carolina-o-i-sem-ais-sim-carolina.html

Agora é continuarmos. Mandar mails para a autarquia, para a segurança social, no fundo chatear e mostrar que estamos todos a par do que se passa.

Rukka disse...

Tudo muito certo. Ok. Toda a razão.
Mas aquela ajuda dos 14 passos que o arbitro deu no golo do tanaka, quando nos livres todos só deu 11, essa é que foi uma ajuda. E esta ein?

Petúnia do Vouga disse...

Excelente iniciativa. Sem querer, de forma alguma, diminuir a visibilidade do vosso blog, sugiro que divulguem a história e as dificuldades da Carolina à "rainha da blogosfera", A pipoca mais doce. Penso que este apelo chegaria, ainda, a mais pessoas que podem contribuir para ajudar a Carolina.

nunomaf disse...

Caro colega de cintura,

Já partilhei n'O Belo Voar da Águia

Abraço
nunomaf

bruno miguel bispo disse...

Tu es doente. Não tens coração.?